Buscar
  • iblue-editor

MVP: O papel do Mínimo Produto Viável na validação de produtos digitais

Atualizado: Jun 25

MVP é um termo que ganhou importância ultimamente. A sigla, que se refere ao Mínimo Produto Viável, está cada vez mais presente nas empresas, especialmente em startups. Essa, afinal, é uma boa maneira de testar a aceitabilidade de um projeto junto ao seu público.

Grandes empresas já otimizaram processos com essa estratégia, como é o caso de Uber, Google e Microsoft. Entretanto, o método pode ser adaptado a qualquer companhia que busca se transformar digitalmente e ganhar agilidade nos negócios.


Ficou interessado no MVP e quer saber como aplicá-lo? Confira abaixo tudo o que você precisa saber para colocar essa estratégia em prática.


O que é MVP?

A sigla MVP, acrônimo de Mínimo Produto Viável, nada mais é do que uma versão mais simples e crua de um produto prestes a ser lançado. Seu objetivo é realizar testes junto ao público e analisar sua aceitação.


A estratégia é simples: investir o mínimo possível para estudar seus pontos fortes e fracos. E a melhor parte disso é que, em vez de especialistas, quem te trará esses feedbacks serão as pessoas que o consumirão. Sendo assim, é um método eficiente para evitar lançamentos frustrados e cheio de reclamações.


Por outro lado, o item já deve apresentar algumas características do projeto final aos possíveis compradores. Em geral, sugere-se incluir na solução as funcionalidades principais do produto, ou seja, a real proposta de valor dessa criação.


Qual a importância do MVP no desenvolvimento de softwares?

No desenvolvimento de softwares, assim como no mercado de produtos, o MVP também apresenta seu valor. Isso porque essa é uma ferramenta bastante utilizada para testar novos programas ou atualizações de versões legadas.


Ele é uma maneira simples de realizar um teste controlado e entender as falhas na construção desse sistema. Bugs, erros e qualquer outro problema deverão ser encontrados nessa fase do desenvolvimento.


Entre seus benefícios, é possível destacar diversos pontos de bastante importância para qualquer empresa, como:

  • Economia de recursos financeiros

  • Coleta de informações junto ao consumidor

  • Rápida adequação de projeto

  • Teste de funcionalidades do sistema

  • Aferição do valor do produto

  • Análise de aceitação pelo público


Como criar um MVP - Mínimo Produto Viável?

Agora que você já entendeu o que é e quais as vantagens de investir no MVP, está na hora de entender seu funcionamento. Para isso, é importante seguir os 4 passos descritos abaixo. Além de colocar uma lógica nesse processo, eles proporcionarão uma correta aferição dos resultados e uma resposta conclusiva ao final.


Criar uma solução com proposta de valor

O primeiro passo para realizar um bom mínimo produto viável é encontrar sua porposta de valor. Para isso, sugere-se unir seu time e entender quais são as dores de seu consumidor.


Depois disso, é preciso pensar em um novo software que resolva os problemas do mercado e traga lucros à empresa. A partir desse esboço, desenvolve-se o sistema em si com as principais características da ideia.


Na prática, ele deve conter os diferenciais do projeto frente aos demais - aqueles que resolvem as dores do consumidor mencionadas acima. Com isso, você terá seu MVP e poderá passar para a próxima etapa.


Desenvolver um script de avaliação

A segunda parte desse processo é comumente esquecida, inclusive por grandes companhias. Aqui, o foco está em desenhar um script com tudo aquilo que se deseja saber sobre a solução.


Nele, devem estar as expectativas da equipe quanto ao projeto e o que se espera da opinião pública. Essas serão suas hipóteses, ou seja, o que o time entende que obterá como resultado.


Em seguida, também deverão constar os objetivos desse teste. Entre eles: analisar a aceitação do sistema, entender o mercado potencial, procurar por falhas e até verificar a viabilidade do lançamento.


Realizar o teste junto ao mercado

Com tudo pronto, está na hora de realizar a etapa mais importante de todo esse processo: o teste. Aqui é necessário disponibilizar o MVP ao público, mas há diferentes maneiras de se realizar a análise.


No desenvolvimento de softwares, a forma mais comum é o teste alpha, em que se libera o sistema para um grupo limitado de usuários. No teste beta, entretanto, o projeto é liberado para o público geral.


Em ambos os casos é preciso que se verifique maneiras de controlar os resultados do mercado. Para isso, algumas ferramentas devem ser utilizadas a fim de medir os índices definidos na etapa anterior.


Analisar o feedback do mercado

Para muitas pessoas, a estratégia do MVP se encerra no passo acima. A realidade, porém, é que ainda há trabalho a ser feito. Na verdade, agora que se trabalha mais, visto que é preciso analisar os resultados do teste.


Em geral, as equipes se reúnem para discutir sobre tudo o que foi descoberto durante a fase anterior. Em alguns casos, os pontos levantados pelo mercado podem ser descartados, e em outros eles podem ser extremamente ricos.


Essa filtragem é o que definirá o sucesso dessa empreitada. De acordo com o que for concluído, é possível seguir com o projeto, cancelá-lo ou realizar algumas adaptações em seu escopo.


Desenvolva seu produto digital com a iBlue

Com certeza você percebeu nos parágrafos acima que o MVP é uma etapa extremamente importante no lançamento de um produto digital. Por isso, é preciso muito conhecimento para realizar o processo de maneira correta.


Diante disso, a iBlue surge como o parceiro ideal para sua empresa. Com mais de 120 colaboradores, possuímos uma equipe apta a te auxiliar em qualquer tarefa. Atuamos com uma operação de ponta a ponta, estando ao seu lado do desenho à implementação e a gestão de serviço das melhores soluções digitais, web ou mobile.


Precisando de ajuda com esse tema? Entre em contato conosco e vamos conversar para saber como podemos te ajudar!



37 visualizações0 comentário